DIIE Recomenda

Tabelas Nota Violência

ATLAS DA VIOLÊNCIA 2018

De acordo com a publicação Atlas da Violência 2018: políticas públicas e retratos dos municípios brasileiros, formulada pelo IPEA e Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que retrata o mapa da violência no país para o ano de 2016, levando-se em consideração o número de mortes mais o quantitativo de mortes violentas com causa indeterminada por cem mil habitantes, São Luís reduziu a taxa de mortes em 2016 em comparação a 2015. Em 2015, São Luís ocupava a 23ª posição no ranking das cidades mais violentas do país, com uma taxa de 73,9 mortes para cada 100 mil habitantes. Já em 2016, a taxa de mortes caiu para 59,5 para 100 mil habitantes, ocupando a 63º posição em comparação aos demais municípios.

São José de Ribamar também apresentou redução da violência em 2016. Em 2015, ocupava o 4ª lugar no ranking das cidades mais violentas, com uma taxa de 96,4 mortes para 100 mil habitantes, enquanto em 2016, essa taxa caiu para 75,6, ocupando, assim, a 24ª posição.

De acordo com o IPEA, por meio do planejamento e políticas focalizadas territorialmente é possível mudar a realidade dos municípios, impactando significativamente as condições de segurança pública, principalmente, por meio das políticas públicas voltadas para prevenção social e para o desenvolvimento infanto-juvenil em famílias em situação de vulnerabilidade.

Neste sentido, ações conjuntas entre o governo do estado e a prefeitura de São Luís de programas e políticas públicas vêm contribuindo para a redução da violência na nossa cidade, não obstante a forte desigualdade social e econômica prevalecente no nosso estado.

Mais detalhes sobre a publicação que retrata a violência em São Luís para 2015, elaborada pelo DIIE, com base nos dados do IPEA, Secretaria de Estado de Segurança Pública do Maranhão e entre outros, pode ser acessada, no link: http://diie.com.br/wp-content/uploads/2017/10/nota_tecnica_2018-3_violencia-slz.pdf

Para acesso ao Atlas da Violência 2018: políticas públicas e retratos dos municípios brasileiros: http://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/arquivos/downloads/7457-2852-180604atlasdaviolencia2018.pdf

Tabelas Nota Violência

MUOVE BRASIL – Dados Abertos

A Muove Brasil é um negócio social cujo objetivo é desenvolver soluções focadas na resolução de problemas que os municípios brasileiros enfrentam. Tais soluções (escaláveis, sustentáveis, de custo acessível e que tenham impacto real na qualidade de vida das pessoas) auxiliam a tomada de decisão de atores locais como gestores públicos, sociedade, empresas, investidores e organizações sociais, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população nos municípios brasileiros.

A Muove Brasil, através dessa plataforma de dados abertos, também permite ao cidadão o acesso a um grande banco de indicadores e análises do Brasil nas áreas de desenvolvimento econômico, saúde, educação, finanças públicas e muitas outras. Os indicadores do município podem ser comparados com os resultados do país, de um estado, de municípios similares ou de qualquer outra cidade. O DIIE recomenda o estudo. Vale a pena conferir!

Veja mais em: Muove Brasil – Dados Abertos

Tabelas Nota Violência

Painel de Transferências Abertas

Lançada no começo deste mês pelo Ministério do Planejamento, o Painel de Transferências Abertas é uma ferramenta que detalha os gastos públicos. O instrumento disponibiliza dados sobre convênios; contratos de repasse; termos de parceria firmados entre a União, estados e municípios, além de organizações da sociedade civil; e emendas parlamentares.

Os dados são apresentados em forma de gráfico, o que, na avaliação do governo, facilita a pesquisa por parte do usuário. Com essa nova ferramenta, os cidadãos poderão ter mais conhecimento sobre as obras paradas e pressionar estados e municípios para que os recursos sejam aplicados. O DIIE recomenda o estudo. Vale a pena conferir!

Veja mais em: Painel de Trasnferências Abertas

Tabelas Nota Violência

Terraço Dados

O Terraço Dados é uma plataforma para visualização de dados econômicos, lançada pelo Terraço Econômico. A ferramenta permite comparar o PIB dos países e ainda disponibiliza outras informações, como: taxa de inflação, população, índice de gini, expectativa de vida, juros de longo prazo, entre outros.

Os dados oficiais são coletados diretamente da base das instituições (OCDE e Banco Mundial) e, portanto, estão sempre atualizados. É possível, ainda, baixar a série de dados e salvar os gráficos. O DIIE recomenda o estudo. Vale a pena conferir!

Veja mais no site: http://terracoeconomico.com.br/interativo/pib-paises

Tabelas Nota Violência

Diagnóstico Zona Rural de São Luís

O presente diagnóstico socioeconômico da Zona Rural de São Luís, realizado para subsidiar a elaboração do Plano de Desenvolvimento da região, baseou-se em dados municipais de produção e  abastecimento, da Pesquisa Pecuária Municipal, da Produção Agrícola Municipal, Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura e Pesquisa de Estoques, todas do IBGE (2015) e nas raras fontes que disponibilizam dados intramunicipais: Atlas de Desenvolvimento Humano (2010), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e Fundação João Pinheiro (PNUD/FJP); Censo Populacional 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE); Leitura Urbana de São Luís (2013) e seus dados adaptados do Censo 2010, que subsidiou proposta de Lei de Zoneamento do Município, do Instituto da Cidade, Pesquisa e Planejamento Urbano e Rural (INCID); Censo Escolar 2015, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (INEP).


Leia ou faça o download do estudo, clicando aqui: ↓

diagnostico_ZONA_RURAL_SLZ

Tabelas Nota Violência

Perfil Municipal 2017

Este produto reúne informações cuidadosamente escolhidas para evidenciar, em uma rápida leitura, as principais características do município de São Luís, na forma de tabelas, gráficos e mapas. O conjunto de dados disponibilizados aborda diversas temáticas: aspectos administrativos, território e população, estatísticas vitais e saúde, condições de vida, habitação e infraestrutura urbana, educação, emprego e rendimento, além de um histórico do município.


Leia ou faça o download do estudo, clicando aqui: ↓

perfil2017_setembro