BOL2_2019 -MERCTRABALHO_FORMAL_SLZ_2QUADR_2019

ATLAS DA VIOLÊNCIA 2018

De acordo com a publicação Atlas da Violência 2018: políticas públicas e retratos dos municípios brasileiros, formulada pelo IPEA e Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que retrata o mapa da violência no país para o ano de 2016, levando-se em consideração o número de mortes mais o quantitativo de mortes violentas com causa indeterminada por cem mil habitantes, São Luís reduziu a taxa de mortes em 2016 em comparação a 2015. Em 2015, São Luís ocupava a 23ª posição no ranking das cidades mais violentas do país, com uma taxa de 73,9 mortes para cada 100 mil habitantes. Já em 2016, a taxa de mortes caiu para 59,5 para 100 mil habitantes, ocupando a 63º posição em comparação aos demais municípios.

São José de Ribamar também apresentou redução da violência em 2016. Em 2015, ocupava o 4ª lugar no ranking das cidades mais violentas, com uma taxa de 96,4 mortes para 100 mil habitantes, enquanto em 2016, essa taxa caiu para 75,6, ocupando, assim, a 24ª posição.

De acordo com o IPEA, por meio do planejamento e políticas focalizadas territorialmente é possível mudar a realidade dos municípios, impactando significativamente as condições de segurança pública, principalmente, por meio das políticas públicas voltadas para prevenção social e para o desenvolvimento infanto-juvenil em famílias em situação de vulnerabilidade.

Neste sentido, ações conjuntas entre o governo do estado e a prefeitura de São Luís de programas e políticas públicas vêm contribuindo para a redução da violência na nossa cidade, não obstante a forte desigualdade social e econômica prevalecente no nosso estado.

Mais detalhes sobre a publicação que retrata a violência em São Luís para 2015, elaborada pelo DIIE, com base nos dados do IPEA, Secretaria de Estado de Segurança Pública do Maranhão e entre outros, pode ser acessada, no link: http://diie.com.br/wp-content/uploads/2017/10/nota_tecnica_2018-3_violencia-slz.pdf

Para acesso ao Atlas da Violência 2018: políticas públicas e retratos dos municípios brasileiros: http://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/arquivos/downloads/7457-2852-180604atlasdaviolencia2018.pdf